Devora-me,





Devora-me

.


Pois, se de ti não te fujo,
é porque não recuso.
Certamente, minha culpa,
só aumenta demais.

Mas,
e por que o faria,
se a minha alegria,
está presa em teus braços,
esses laços de paz.

Olindo Santana






toda vez que me olha.
E o desejo em mim,
que a minha carne controla,
diz que sou teu escravo,

com direito ao agravo,
de sê-lo ainda mais

3 comentários:

  1. Eu gosto da sensualidade da mulher devia ser muito mais ainda estou gostando ! rsrsr boa noite Ira ! bjssss

    ResponderExcluir